Crise faz aumentar inadimplência e leilões de imóveis

Crise faz aumentar inadimplência: Imóveis vão para leilão e o valor dos bens chega a ser 60% menor em relação aos que estão no mercado.

É difícil encontrar alguém, ou algum setor da economia, que não tenha sentido no bolso os efeitos da mais grave crise econômica de todos os tempos. A crise, além de baixar os preços dos imóveis, fez crescer o volume de imóveis que são enviados para serem leiloados.

Crise faz aumentar inadimplência

São ações de retomadas de propriedades por falta de pagamento e ações de cobrança de dívidas, como as de condomínio.

Não há estatísticas oficiais a respeito do imóveis leiloados, mas é possível perceber que, desde 2016, aumentou a quantidade de pessoas que perdem seus bens em função de inadimplência, de crédito imobiliário, ou pelo não pagamento das despesas de condomínio não pagas.

A Caixa Econômica Federal é responsável pela maior parte do crédito para casa própria no país. São cerca de 70% dos negócios. E as retomadas cresceram 80% em 2016.

No caso de financiamento, o que ocorre é que as pessoas não estão conseguindo pagar as dívidas de seus imóveis. E muitas acham melhor honrar outras despesas que tem juros maiores. Por exemplo cartão de crédito, deixando as dívidas imobiliárias para uma solução posterior.   O cobertor é curto, e mesmo que o problema seja adiado, porque estas ações tendem a ser mais demoradas, o prejuízo no futuro será maior.

Se não houver composição, o imóvel poderá ser leiloado para pagamento das dívidas. Uma das formas legais é por meio do leilão.

Na prática, o que ocorre, é que são designados dois leilões. Se o imóvel não for vendido no primeiro leilão, no segundo poderá ser adquirido por 50 ou 60% do valor. Na justiça do trabalho os lances mínimos podem ser ainda menores, em torno de 40% do valor.

Tempos atrás, existiam empresas e pessoas especializadas na área, mas atualmente tem havido a procura de diversas pessoas por causa da divulgação que se tem dado ao tema. Mas é bom lembrar que as arrematações têm características próprias e exigem a atuação de um profissional com conhecimento nesta área especifica, para evitar diminuição dos lucros, ou até mesmo prejuízo na aquisição.

Quem estiver interessado em comprar imóveis e quiser investir em arrematações, deve levar em conta alguns pontos.

Comprar um imóvel em leilão já foi algo voltado apenas para investidores e especialistas no assunto. Nos últimos anos, o perfil vem mudando bastante. Muitos dos inscritos e participantes dos leilões são pessoas comuns.

FONTE: Portal da Ilha


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *